(83) 9.8151-9357 - sintefpb@sintefpb.org.br / Av. Primeiro de Maio 720, Jaguaribe - João Pessoa-PB
twitterfacebookyoutube

Paulo Freire: 101 anos do patrono da educação brasileira

Paulo Freire: 101 anos do patrono da educação brasileira

Por Ana Clara Godoi

Paulo Freire, educador e filósofo reconhecido internacionalmente, nasceu em 19 de setembro de 1921, no Recife (PE). Filho de Joaquim Temístocles Freire e de Edeltrudes Neves Freire, recebeu diversos prêmios e tornou-se Patrono da Educação Brasileira anos após sua morte.

No início de sua vida, Paulo Freire pertencia e sua família pertenciam à classe média. Devido a uma série de mudanças com a Crise de 1929, a família Freire precisou se mudar para a periferia da cidade de Recife. Foi lá que então Paulo Freire teve contato com a pobreza e até mesmo com a fome, fato que o incentivou a voltar sua atenção para a população em situação de vulnerabilidade social em sua vida adulta.

Em 1961, o educador tornou-se diretor do Departamento de Extensões Culturais da Universidade do Recife e criou um método de ensino popular e alfabetizou um grupo de 300 trabalhadores no Rio Grande do Norte em apenas 45 dias. O método consistia em ensinar através do diálogo, levando em consideração as experiências e características de cada pessoa, não somente depositando o conhecimento nelas – modelo de ensino que Paulo Freire chamava de “bancário”.

Com o sucesso da iniciativa, o governo brasileiro aprovou a inclusão do método em um Plano Nacional de Alfabetização, que promovia a formação de educadores em massa e a rápida implantação de 20 mil núcleos, chamados de Círculos de Cultura, pelo país. No entanto, em 1964, o golpe militar extinguiu o Plano e Freire foi preso por ser considerado subversivo.

Após 72 dias de prisão Paulo Freire fugiu para o Chile, onde trabalhou no Instituto Chileno para a Reforma Agrária. Lá, escreveu ‘Educação como prática da liberdade’ (1967) e a sua principal obra, ‘Pedagogia do oprimido’, publicada em espanhol e em inglês em 1970, e em português apenas em 1974. Em 1969, foi para os Estados Unidos, na condição de professor visitante da Universidade de Harvard.

Freire só retornou ao Brasil em 1980, com a Anistia de 1979. Ele filiou-se ao Partido dos Trabalhadores na cidade de São Paulo e atuou como supervisor para o programa do partido para alfabetização de adultos de 1980 até 1986. Na gestão de Luiza Erundina (1989-1993) na prefeitura de São Paulo, Freire foi nomeado secretário de Educação da cidade, cargo que exerceu entre 1989 e 1991. Seu mandato teve como marca a recuperação salarial dos professores, a revisão curricular e a implantação de programas de alfabetização de jovens e adultos.

Em 1991, foi fundado em São Paulo o Instituto Paulo Freire, para estender e elaborar as ideias de Freire. O instituto mantém até hoje os arquivos do educador, além de realizar ações sociais relacionadas à educação brasileira e mundial, mantendo também seu legado.

Paulo Freire morreu em 2 de maio de 1997, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, devido a um ataque cardíaco causado por complicações durante uma cirurgia de desobstrução de artérias.

Em 2012, por meio da Lei 12.612, de 13 de abril de 2012, de autoria da Deputada Federal Luíza Erundina, Paulo Freire foi declarado Patrono da Educação Brasileira. O filósofo entrou para a história da pedagogia mundial, tendo influenciado o movimento da pedagogia crítica e construtiva.

Freire é um dos brasileiros mais homenageados da história. Além da nomeação, ganhou 41 títulos de Doutor Honoris Causa de universidades famosas, como Harvard, Cambridge e Oxford. Entre outros prêmios que ganhou ao longo de sua vida estão o Prêmio Rei Balduíno para o Desenvolvimento, na Bélgica, em 1980; o Prêmio UNESCO da Educação para a Paz, em 1986; e o Prêmio Andres Bello como Educador do Continente, da Organização do Estados Americanos, em 1992.

Devido a Covid-19, o centenário de Paulo Freire, ocorrido em 2021, só será comemorado neste ano. O evento será realizado presencialmente em Recife (PE), entre os dias 17 e 20 de setembro, e contará com debates, exposições e apresentações culturais.

 

Fonte: https://observatorio3setor.org.br/noticias/paulo-freire-101-anos-do-patrono-da-educacao-brasileira/

Deixe um Comentário