(83) 3221-0160 / 9316-8181 - Av. Primeiro de Maio 720, Jaguaribe - João Pessoa-PB
twitterfacebookgoogleyoutuberss

Nota da Direção Nacional do SINASEFE chamando tod@s para a Greve Geral dia 30/06: “vamos parar todos os campi e reitorias da Rede Federal, e as instituições de ensino vinculadas o Ministério da Defesa, na Greve Geral!”

Nota da Direção Nacional do SINASEFE chamando tod@s para a Greve Geral dia 30/06: “vamos parar todos os campi e reitorias da Rede Federal, e as instituições de ensino vinculadas o Ministério da Defesa, na Greve Geral!”

A Direção Nacional do SINASEFE divulgou nesta sexta-feira (09/06) uma nota de chamado aos trabalhadores e trabalhadoras da Rede Federal. O documento reforça a convocação para a mobilização nacional em 30/06: “vamos parar todos os campi e reitorias da Rede Federal, e as instituições de ensino vinculadas o Ministério da Defesa, na Greve Geral!”. Baixe aqui a nota em formato PDF, ou leia a seguir.


Nota da Direção Nacional do SINASEFE: GREVE GERAL 30/06

Paremos todos os campi e reitorias da Rede Federal de Educação Básica, Profissional, Científica e Tecnológica e as instituições de ensino vinculadas o Ministério da Defesa dia 30 de junho.

No dia 5 de junho as centrais sindicais aprovaram o dia 30 de junho como o dia de realização da Greve Geral no Brasil. Assim, queremos aqui realizar o mais amplo chamado às bases do SINASEFE para participarem deste dia de Greve Geral. Orientamos, também, que as nossas bases participem ativamente das ações unitárias que visem à construção desse movimento.

As centrais sindicais ao aprovarem a realização da Greve Geral, formularam quatro eixos de luta:

1.Contra a Reforma da Previdência (Proposta de Emenda à Constituição nº 287/2016) – que, se aprovada, nos obrigará a trabalhar até morrer, ou seja, a referida PEC representa o fim da aposentadoria dos brasileiros;

2.Contra a Reforma Trabalhista – que ameaça acabar com direitos históricos conquistados pela classe trabalhadora, como férias, 13º salário e tantos outros;

3.Contra as Terceirizações – que precarizam o trabalho e ameaçam acabar com a existência dos servidores públicos, podendo acarretar, inclusive, na terceirização da atividade docente e na extinção das carreiras dos professores federais e dos técnico-administrativos em educação. Essas carreiras são fruto das muitas lutas e greves que realizamos nesses 28 anos de existência do SINASEFE e não abriremos mão dessas conquistas.

4.Fora Temer, aqui cumpre esclarecer que para a greve geral do dia 28.04, apenas os três eixos acima eram acordados entre as centrais, mesmo a CSP – Conlutas defendendo Fora Temer e todos os corruptos do Congresso Nacional nas reuniões das centrais. A incorporação deste eixo é uma necessidade a classe trabalhadora, que rejeita Temer e suas reformas.

Esses eixos hoje têm unificado milhões de trabalhadores e trabalhadores a irem à luta.

Neste sentido, e com o espírito de luta, que após a vitoriosa greve geral do dia 28 de abril na Plenária 149ª, realizada entre os dias 29 de abril e 1º maio, nossa categoria aprovou que a prioridade é a realização de uma nova Greve Geral no Brasil. Compreendemos que sem uma nova mobilização desta dimensão não poderemos derrotar as reformas nem colocar para fora Temer e todos os corruptos do Congresso Nacional e aqueles que atacam os nossos direitos.

Por tanto, após a definição data da Greve Geral, devemos enquanto classe ter o compromisso de novamente parar pelos menos 40 milhões de trabalhadores e trabalhadoras, assim como fizemos no dia 28 de abril.

E, novamente, no dia 30 de junho parar o Brasil! Para isso, compreendemos que o papel do SINASEFE, desde sua Direção Nacional (DN) até suas mais de 90 seções sindicais, é de paralisar todos os campi e reitorias da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica; dos Colégios, Escolas Militares e as Instituições de ensino vinculadas o Ministério da Defesa; do Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines); e do Colégio Pedro II (CPII). Esta deve ser a contribuição do SINASEFE e de suas bases à luta de toda classe trabalhadora no próximo dia 30.

Necessitamos que sejam organizadas assembleias, plenárias e a construção de comitês populares contra a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista e as terceirizações. Só assim iremos parar todo o Brasil dia 30 de junho, realizando manifestações nos municípios, estados e no Distrito Federal.

Nos locais de trabalho onde ainda não há seção sindical organizada ou existem dificuldades de mobilização, colocamos a DN do SINASEFE à disposição para realizar assembleias e aprovar a Greve Geral pela base.

Enfim, companheiros e companheiras do SINASEFE, assim como fizemos para a Greve Geral do dia 28 de abril, devemos novamente colocar a “mão na massa” e realizarmos uma Greve Geral mais forte no Brasil 30 de junho.

Contra a Reforma da Previdência!

Contra a Reforma Trabalhista!

Contra as Terceirizações!

Fora Temer!

Todos e todas à Greve Geral em 30/06/2017!

Direção Nacional do SINASEFE

 

Para baixar
Baixe a nota em versão PDF

 

.

Via: SINASEFE NACIONAL


 

Deixe um Comentário