(83) 3221-0160 / 9316-8181 - Av. Primeiro de Maio 720, Jaguaribe - João Pessoa-PB
twitterfacebookgoogleyoutuberss

Orientação da Direção Nacional do SINASEFE: não preencha “Autodeclaração de Saúde da Família”, aguarde mais informações

Orientação da Direção Nacional do SINASEFE: não preencha “Autodeclaração de Saúde da Família”, aguarde mais informações

Orientamos, nesta terça-feira (19/05), servidoras e servidores da Rede Federal de Educação a aguardarem mais informações e não preencherem a “Autodeclaração de Saúde da Família” solicitada por diversas diretorias de Gestão de Pessoas.

Em e-mails encaminhados nesta semana, diversas DGP dizem estar seguindo orientações do Ministério da Economia de Paulo Guedes para que os próprios servidores respondam, até o dia 22/05, sobre suas condições de saúde e de suas famílias. O intuito é explicito: auxiliar no planejamento do retorno das atividades presenciais.

Em meio a maior pandemia e crise sanitária da história do país, a qual impôs a suspensão do calendário letivo e das atividades presenciais, obrigando-nos ao distanciamento social por tempo indeterminado, o ministério da Economia, que preza pela retomada do comércio e pelos lucros, e não pela saúde dos trabalhadores, pretende “sondar” de modo irresponsável, e sem nenhum rigor sanitário ou científico, apenas a partir de autodeclarações subjetivas dos servidores, quem está apto ou não para o retorno das atividades enquanto as mesmas permanecem suspensas.

De tal modo, o preenchimento de tal documento nos parece no mínimo precipitado. Não iremos embarcar nessa armadilha.

  • Informamos que o SINASEFE solicitou análise desta situação à sua Assessoria Jurídica Nacional.
  • Até o retorno dessa solicitação, orientamos aos servidores e servidoras ignorarem e não preencherem tal declaração solicitada. A nossa resistência ao COVID-19 está em cuidar de nossa saúde, em preservar a vida.

.

#Fique em casa

.

Direção Nacional do SINASEFE

Conteúdo relacionado

Veja também

A Assessoria Jurídica Nacional vai realizar uma live pautando o plano de retorno forçado dos servidores pelo governo Bolsonaro, acompanhe:

Deixe um Comentário