(83) 3221-0160 / 9316-8181 - Av. Primeiro de Maio 720, Jaguaribe - João Pessoa-PB
twitterfacebookgoogleyoutuberss

Combate à violência de gênero é um dos temas mais discutidos neste dia da mulher

Combate à violência de gênero é um dos temas mais discutidos neste dia da mulher

Imagem em destaque: cartacapital.com.br

.

.

Confira a seguir matéria divulgada pelo MEC:

.

 

 

 

.Ouça o áudio:

.

Combater a violência contra a mulher também é questão de educação. Por isso, algumas universidades têm trabalhado para conscientizar homens e acolher mulheres vítimas de violência motivadas por questão de gênero, especialmente, no Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta quarta-feira, 8. A data marca a luta por direitos iguais.

Dentro dessa perspectiva, a Universidade Estadual do Ceará (Uece) inaugura o Núcleo de Acolhimento Humanizado às Mulheres Vítimas de Violência (NAH). O centro vai atuar como um ponto de apoio jurídico e psicológico para mulheres que tenham sofrido algum tipo de violência dentro da instituição. Lá, elas receberão atendimento e serão orientadas sobre quais providências devem tomar e quais locais devem procurar.

O vice-reitor da Uece, professor Hidelbrando dos Santos Soares, explicou que o núcleo é resultado da identificação de diversas denúncias de violência praticadas contra mulheres nos espaços da universidade, que vão de furto e roubo a assédio sexual, moral e psicológico. Segundo o vice-reitor, a intenção é colocar em debate a questão da violência contra a mulher dentro dos campi.

“É uma busca em colocar a questão da violência contra a mulher como uma coluna vertebral da ação da universidade em relação às relações interpessoais. Esse é o grande trabalho do núcleo. É a semente de um projeto de uma universidade menos machista e mais antenada com o mundo de amanhã”, destaca o vice-reitor. A Universidade Estadual do Ceará tem atualmente cerca de 23 mil estudantes, 1.100 professores e 800 servidores, e está presente em pelo menos cinco cidades cearenses.

Outra instituição que atua no combate à violência de gênero é a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Durante a recepção dos calouros para o primeiro semestre letivo, na segunda-feira, 6, teve início uma campanha de conscientização dos estudantes. São cartazes e peças publicitárias para veiculação na internet, rádio e TV universitária com o tema “A diversidade nos fortalece. A tolerância nos une”. A campanha segue os preceitos do protocolo de atendimento a mulheres vítimas de violência na universidade, que tem como objetivo garantir a segurança e a qualidade no atendimento das estudantes da instituição.
.
.

Assessoria de Comunicação Social | MEC

 

.

.

Por que 8 de março é o Dia Internacional da Mulher?

http://www.cartaeducacao.com.br/reportagens/me-explica/por-que-8-de-marco-e-o-dia-internacional-da-mulher/?utm_source=social_monitor&utm_medium=widget_vertical

.

.

.
No Dia da Mulher, nada a comemorar

O Brasil é um dos piores lugares do mundo para se nascer menina, aponta relatório. Os indicadores confirmam

https://www.cartacapital.com.br/revista/942/no-dia-da-mulher-nada-a-comemorar?utm_source=social_monitor&utm_medium=widget_vertical

.

O feminicídio e a luta contra o machismo na agenda política

https://www.cartacapital.com.br/blogs/blog-do-grri/o-feminicidio-e-a-luta-contra-o-machismo-na-agenda-politica

Deixe um Comentário