(83) 3221-0160 / 9316-8181 - Av. Primeiro de Maio 720, Jaguaribe - João Pessoa-PB
twitterfacebookgoogleyoutuberss

Caravana em Brasília | Militantes de cerca de 15 Seções Sindicais do SINASEFE, além de integrantes da Direção Nacional do sindicato participaram ontem da caravana convocada pelo Fonasef e Fonacate.

Caravana em Brasília | Militantes de cerca de 15 Seções Sindicais do SINASEFE, além de integrantes da Direção Nacional do sindicato participaram ontem da caravana convocada pelo Fonasef e Fonacate.

Por: SINASEFE NACIONAL.


.

Vindos desde o Amazonas até do Rio Grande do Sul, trabalhadores do serviço público de todo país movimentaram a capital federal nesta terça-feira (28/11). A caravana, convocada pelo Fonasef e Fonacate, mobilizou mais de cinco mil lutadores, dentre servidores públicos, estudantes e militantes de movimentos por moradia. Militantes de cerca de quinze Seções Sindicais do SINASEFE, além de integrantes da Direção Nacional do sindicato, se somaram à atividade reafirmando a disposição de lutar contra a Reforma da Previdência e os demais ataques do governo e do congresso golpistas.


Concentrações

No início da manhã diversas caravanas começaram a chegar à Brasília-DF. Parte dos caravaneiros se encontrou na Praça dos Três Poderes e se direcionou para o estacionamento do anexo 2 da Câmara dos Deputados, na lateral do Congresso Nacional. Palavras de ordem e falações, comuns nas manifestações, eram entoadas livremente no espaço neste momento inicial.

Outro grupo de caravaneiros encontrou bastante dificuldade de se movimentar, logo na chegada à Catedral, na Esplanada dos Ministérios, cerca de 1,6 Km distante do Congresso. Este grupo foi impedido de seguir em frente, tanto pela via quanto caminhando. Não foi permitida a passagem de bandeiras com mastro e foram registrados diversas abordagens truculentas da polícia.

O grupo concentrado no estacionamento do anexo seguia com a atividade quando a polícia exigiu a retirada do carro de som, numa clara tentativa de desarticular a manifestação. Uma comissão de organizadores do ato e parlamentares dialogou com a polícia, enquanto isso o grupo ocupou a via S2, impedindo o trânsito no local. Passados vários minutos com a atividade parada, um acordo garantiu a continuidade da mobilização: a polícia liberou a permanência do carro de som, e também a chegada do restante dos caravaneiros, e os lutadores liberaram a via, ocupando o estacionamento e seguindo com a atividade.

Assim, caravaneiros foram chegando e se somando à atividade, protestando e denunciando os ataques do governo golpista e do Congresso aos serviços públicos e aos servidores. Além da reforma da previdenciária (PEC 287/2016), o grupo destacou as seguintes reivindicações: contra a MPV 805/2017, revogação da Reforma Trabalhista (Lei 13.467/2017), revogação da nova Lei das Terceirizações (Lei 13.429/2017) e revogação da EC 95/2016.

Reunião ampliada do Fonasef

Adiantada para 15h, a reunião ampliada do Fonasef foi realizada no Espaço do Servidor, nas proximidades do Ministério do Planejamento. Os participantes se dedicaram a fazer uma análise inicial da atividade e debater a greve geral de 5/12, os representantes das entidades. Diversas intervenções reafirmaram a combatividade e resistência dos caravaneiros, destacando a importância de ampliar as mobilizações e preparar a greve geral.

Representante da CSP-Conlutas, Saulo Arcangeli, lembrou que na próxima semana as mobilizações serão maiores, e devem contar com a adesão de diversos setores em todo Brasil. “É nossa tarefa voltar para os estados e realizar assembleias nas categorias, participar das reuniões com as centrais, utilizar nossos mecanismos para articular e armar esta Greve Geral do dia 5 de dezembro”, frisou.

“Nos chamaram de desordeiros e de baderneiros, durante a manifestação desta manhã, mas quem está acabando com nosso país são estes congressistas golpistas, eles são os baderneiros”, destacou o servidor do ministério da Saúde Luciano Simplício, caravaneiro do Ceará.

“É preciso reforçar as articulações e mobilizações nos estados, reunir os fóruns de servidores federais e também estaduais e municipais. Além disso unificar esta luta com as demais categorias de trabalhadores e os movimentos sociais” reforçou Paulo Reis, dirigente do SINASEFE, em sua intervenção.

Reunião com lideranças do Congresso

Além de se manifestar às portas do Congresso, Fonasef e Fonacate reivindicaram uma reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para a entrega de uma carta aberta aos parlamentares, lembrando que “as entidades dos trabalhadores estão atentas às atitudes de cada parlamentar e que se ocuparão de bem esclarecer os eleitores no pleito das eleições gerais que se avizinha”.

“Não deixaremos nenhum cidadão se esquecer de quem lhe tirou o direito a um serviço público gratuito e de qualidade e a uma aposentadoria digna. Faremos com que percebam os reflexos, mesmo antes que eles se estabeleçam, para que os brasileiros possam mudar seus destinos escolhendo mandatários que, de fato, se importem com o povo.” destaca o texto da carta.

Representantes do Andes-SN, CSP-Conlutas, Fonacate, Fenasps e SINASEFE (Cristiane Gonzaga da Direção Nacional) se reuniram no início da noite desta terça-feira com Maia. Cristiane concedeu entrevista coletiva ao término da reunião, confira o vídeo.

 

Conteúdo relacionado

Deixe um Comentário