(83) 3221-0160 / 9316-8181 - Av. Primeiro de Maio 720, Jaguaribe - João Pessoa-PB
twitterfacebookgoogleyoutuberss

Servidora foi suspensa por gritar “fora Temer” em um evento do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial

Servidora foi suspensa por gritar “fora Temer” em um evento do Departamento de Ciência e  Tecnologia Aeroespacial

Uma servidora civil do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial que havia sido suspensa por gritar “fora Temer” em um evento do órgão conseguiu reverter a punição para advertência na Justiça. O argumento do juízo foi o de que a Lei 8.112/1990 limita a primeira penalidade aos casos de reincidência.

A decisão foi tomada pela 2ª Vara da Justiça Federal de São José dos Campos, que atendeu um liminar em Mandado de Segurança apresentado pela servidora, representada pelo o advogado Alessandro Cardoso Faria, da Sodero Advocacia.

Segundo a defesa da autora, a suspensão foi determinada apesar de mantido o mesmo enquadramento legal que motivou a punição. Mas, a transgressão que foi registrada, deve ser punida com a advertência, ainda mais que não era um ato reincidente.

De acordo com o juízo, “cabimento da penalidade de suspensão (convertida em multa), é passível de questionamento no caso concreto”, pois o artigo 130 da Lei 8.112/90 determina que a pena de suspensão só pode ser aplicada em casos de “reincidência das faltas punidas com advertência e de violação das demais proibições que não tipifiquem infração sujeita a penalidade de demissão”.

MS 5000417-37.2018.4.03.6103

 

Fonte: Consultor Jurídico
.
.


Fonte: Consultor Jurídico. Via: Blog servidorpblicofederal.

Deixe um Comentário