(83) 3221-0160 / 9316-8181 - Av. Primeiro de Maio 720, Jaguaribe - João Pessoa-PB
twitterfacebookgoogleyoutuberss

Reditec 2018 terá como tema “O Trabalho no século XXI: Globalização, Inovação, Educação Profissional e Tecnológica: Caminhos e Desafios para a inclusão”. Confira!

Reditec 2018 terá como tema “O Trabalho no século XXI: Globalização, Inovação, Educação Profissional e Tecnológica: Caminhos e Desafios para a inclusão”. Confira!

Aos poucos, a programação da Reunião Anual dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Reditec 2018) vai ganhando seus contornos e definições para dar conta da temática principal do evento, que neste ano, será “O Trabalho no século XXI: Globalização, Inovação, Educação Profissional e Tecnológica: Caminhos e Desafios para a inclusão”.

.

Entre as atividades tradicionais, estão a Reunião dos Fóruns temáticos, que são órgãos de assessoramento das Câmaras Temáticas do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), compostos por um representante de cada instituição da Rede Federal, responsável pelas ações sistêmicas vinculadas ao tema; e a Mostra de Experiências Exitosas, que tem o objetivo de compartilhar e socializar os projetos de sucesso da Rede Federal.

Além disso, a Reditec 2018 reserva também como atrações a Tenda Tecnológica, um espaço interativo voltado para divulgação dos projetos de inovação da Rede Federal e dos Polos de Inovação; o Desafio Solar, uma competição de navegações movidas à energia solar; atividade comemorativa dos 10 anos da Rede Federal; apresentações culturais, além dos Fóruns dos Centros Unesco-Unevoc na América Latina, que reunirão gestores da Educação Profissional de vários países.

Também estão previstas palestras seguidas de mesas-redondas que desdobrarão a temática do evento sob o ponto de vista de pesquisadores e gestores de renome. Além do palestrante, irão compor a mesa-redonda do dia um convidado nacional e um internacional e um ex-reitor da Rede.

“A partir da definição do tema, começamos a buscar pessoas que poderiam contribuir com esse debate, uma construção que se deu ao longo do tempo. Conseguimos, então, formar um grupo de palestrantes e debatedores de muita densidade e de posições complementares”, ressalta o reitor do Instituto Federal Fluminense (IFFluminense), Jefferson Manhães de Azevedo. “Tenho certeza de que o grupo de palestrantes e membros de mesa são pessoas de reflexão muito apurada”, acrescenta.

A escolha por esse modelo de palestra seguida de mesa-redonda foi pensada para uma maior contribuição nas discussões. “A palestra é um ponto de vista, uma perspectiva. Na mesa-redonda, com mais pessoas, é possível esmiuçar a ideia principal do palestrante e trazer novas perspectivas para aquele assunto. Discutir sobre as possibilidades futuras sempre é um trabalho que exige outros olhares, a perspectiva plural para que a gente possa compreender este tema tão complexo e com tantas possibilidades”, acredita Jefferson.

Entre os palestrantes, está confirmado o nome internacional Dr. Carl Benedikt Frey, diretor-adjunto do Programa em Tecnologia e Emprego na Escola Oxford Martin (Universidade de Oxford), que tem um estudo denso sobre o novo modelo de trabalho e perfil dos profissionais do futuro; além do Dr. Naomar Monteiro, Ph.D. em Epidemiologia e ex-reitor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), que traz uma discussão sobre o modelo de educação do ensino superior; e do Dr. Luciano Meira, Ph.D. em Educação Matemática, professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que discute sobre tecnologias e novos modelos de ambientes educativos. Ele irá abordar a temática “Desafios para a Educação Profissional e Tecnológica”.

.

“Os desafios para uma educação profissional de qualidade se sustentam, necessariamente, na introdução de novas práticas didáticas inovadoras na escola, práticas estas que também façam uso de tecnologias digitais inovadoras. Nesse sentido, apresentarei um conjunto de quatro premissas para inovar na educação: mudança dos cenários físicos das escolas; oferta de experiências significativas de aprendizagem; fortalecimento das relações entre as pessoas, especialmente professores e alunos; formação de redes de inovação a partir de experiências locais”, explica Luciano Meira.

.

O palestrante ainda acrescenta a importância de falar para uma plateia de gestores da área durante a Reditec 2018. “A formação de redes ou ecossistemas de inovação representam uma camada fundamental para a transformação dos sistemas educacionais. Em minha opinião, isso só é possível quando a atividade dos professores em sala de aula e em cada unidade escolar é apoiada, instigada e compartilhada através da gestão inovadora das redes de ensino. No sentido inverso, a gestão de redes também pode tornar-se um poderoso obstáculo à inovação, daí a necessidade de um diálogo contínuo entre esses vários atores”, diz.

E os destaques não param por aqui. Já estão confirmados para as mesas-redondas convidados internacionais, tais como: Shyamal Majumdar, diretor da Unesco-Unevoc; Denise Amyot, presidente do Colleges and Institutes Canada (CiCan); Francisco Tamarit, reitor da Universidade Nacional de Córdoba; David Bourdages, diretor-geral do CIRADD/Canadá; e Paulo de Souza, CSIRO/Austrália.

Além de nomes nacionais como reitores e ex-reitores de Institutos Federais: Jorge Almeida, diretor-presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii); Joana D’Arc Félix, docente e pesquisadora na Escola Técnica Estadual Prof. Carmelino Corrêa Júnior de Franca-SP; e Nelmício Furtado, o primeiro doutor formado na Rede Federal, tendo cursado todas as etapas da educação profissional no Instituto Federal Goiano (IFGoiano).

.

.

Confira a programação completa do Reditec:

 Clicando AQUI  >>> Reditec 2018 <<<

.

.

Por: Assessoria de Comunicação do Conif  |  (61) 3966-7202
Fonte: http://portal.conif.org.br

Deixe um Comentário