(83) 3221-0160 / 9316-8181 - Av. Primeiro de Maio 720, Jaguaribe - João Pessoa-PB
twitterfacebookgoogleyoutuberss

O futuro não virá por si só, se não tomarmos providências.

O futuro não virá por si só, se não tomarmos providências.

Entre as coisas que fazemos e que nos definem, está o trabalho. O trabalho tem dois aspectos que fundamentam nossa vida em sociedade. Primeiro, está relacionado à própria manutenção, física, estrutural e financeira. Ganha-se por trabalhar e trabalha-se para viver. O segundo é a função ou o impacto desse trabalho, isto é, a forma pela qual contribuímos para organização social através da profissão que exercemos.

Estamos em greve. A greve não é uma entidade que se mantém por si só, a greve somos nós. Mas dizer nós, é querer, e entender, que todos os servidores estão empenhados nos mesmos objetivos, viver e deixar viver, poder estabelecer, através do seu trabalho, seu lugar no mundo, e,através do seu trabalho, contribuir para que outros encontrem, também, um caminho.

Esse é o ponto. Estamos em greve, uma greve justa, clara, legal, ainda assim um atrito, uma discordância, uma exigência. O Governo tem todo um aparato, todos os meios e todos os recursos. Nós temos as nossas vozes. Temos a nossa causa. Temos, somente, a nós. Navegar é preciso. Não é um processo em que se possa passar em brancas nuvens. Não é uma coisa que se possa viver passivamente.

Estamos em greve, e a greve será tão boa quanto nós a fizermos. Quem não luta pelos seus direitos assume o risco da violação. Trabalhamos em Educação. Que ninguém subestime a importância disso. Trabalhamos para nós, sim, mas também para o bem estar do outro. A Educação não é uma empresa capitalista que almeja lucros. Não é uma empresa particular em que se tenha que agradar aos chefes. Fazemos a nossa dignidade e a dignidade do outro.

Trabalhamos em Educação e estamos em greve. Quem não trabalha pelo Movimento, de uma forma muito clara, age contra a Educação e contra o Movimento. Que seja possível preferir os motivos mais altos. Que não coloquemos nossas consciências à disposição. Que cada um entenda que esse é um projeto de todos. Que possamos assumir a responsabilidade, pessoal, profissional e social de nosso trabalho. Que não tenhamos medo!

 

*Ângela Cardoso. Servidora IFPB – Campus Cabedelo, Bibliotecária.

Deixe um Comentário