(83) 3221-0160 / 9316-8181 - Av. Primeiro de Maio 720, Jaguaribe - João Pessoa-PB
twitterfacebookgoogleyoutuberss

Diretor Geral do IFPB campus JP se reuniu hoje com representantes da ONG Adota João Pessoa e do SINTEFPB

“Com o objetivo de promover uma convivência tranquila entre as pessoas e os animais que transitam no Campus João Pessoa, o Diretor-Geral, professor Neilor Cesar dos Santos, e a servidora Regina Coeli Negreiros se reuniram com as representantes da ONG Adota João Pessoa, Alick Farias e Pollyan Dantas. O encontro ocorreu na tarde desta quinta-feira (06).

Foram discutidas ações para conscientizar a comunidade interna e externa sobre maus tratos e abandono de animais, atos que são crimes. Também foram definidos os primeiros passos para se realizar algumas atividades como palestras sobre bem-estar animal e campanha para castração dos animais abandonados no campus.

“Estamos de portas abertas para receber sugestões e realizar ações que melhorem o convívio da nossa comunidade com os animais. Acredito que o trabalho em conjunto com o Adota João Pessoa será fundamental”, afirmou o professor Neilor.

As representantes da ONG disseram estar satisfeitas com a abertura de diálogo do gestor do Campus João Pessoa e se colocaram a disposição para realizar as atividades necessárias. “Há condições de fazermos o controle populacional dos bichos abandonados, enquanto ainda não há um número tão grande”, afirmou Alick ao falar sobre castração. “Se dermos as mãos para tentar resolver esses problemas e nos ajudarmos, conseguiremos bons resultados”, completou Pollyana.”

 

*Daniela Espínola – jornalista do IFPB/Campus João Pessoa

Fonte: http://www.ifpb.edu.br/

foto 2

Foto divulgação: Site do IFPB


” Foi discutido a formação de uma Comissão de Bem Estar Animal do IFPB, e que provavelmente o Centro de Zoonozes também fará parte dessa parceria tão importante.

Haverá também palestras com profissionais da área e faremos a esterilização dos animais do campus. 

Desejamos que esta seja uma profícua parceria que venha a ir além dos muros do IFPB! Faremos de tudo para que seja!”


*Regina Negreiros – Servidora do IFPB campus JP e representante do SINTEFPB na reunião.


10482534_275170079357700_1726002120197033948_n

Lembrando que essa é uma Parceria do IFPB Campus JP e SINTEF PB com o Adota JP (Representantes: Alick Farias e Pollyan Dantas).

O DCE IFPB não participou desta reunião, mas se mostrou solidário a causa.

 

Imagem: http://apacaxambu.blogspot.com.br/

Logo mais, teremos maiores informações sobre as ações que deverão ser feitas dentro da instituição, visando o bem estar animal e conscientização sobre os maus tratos e abandono de animais.


Vale a pena ler:

A denúncia de maus-tratos é legitimada pelo Art. 32, da Lei Federal nº. 9.605 de 1998 (Lei de Crimes Ambientais) e o Art. 164 do Código Penal, prevê o crime de abandono de animais para aqueles que introduzirem ou deixarem animais em propriedade alheia, sem consentimento de quem de direito, desde que o fato resulte prejuízo:

A pena prevista pelo Art. 32 da Lei de Crime Ambientais é de detenção de 3 meses a 1 ano e multa.
A pena prevista pelo Art. 164 do Código Penal é de detenção, de 15 (quinze) dias a 6 (seis) meses, ou multa.
– O que diz o artigo 32 da Lei Federal nº. 9.605/98?:

È considerado crime praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, doméstico ou domesticados, nativos ou exóticos.

Pena – Detenção de 3 (três) meses a 1 (um) ano e multa.

Parágrafo 1°. – Incorre nas mesmas Penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animais vivos, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.

Parágrafo 2°. – A Pena é aumentada de 1 (um) terço a 1(um) sexto, se ocorrer a morte do(s) animal(s).”

Os atos de maus-tratos e crueldades mais comuns são:

  • abandono;
  • manter animal preso por muito tempo sem comida e contato com seus donos/responsáveis;
  • deixar animal em lugar impróprio e anti-higiênico;
  • envenenamento;
  • agressão física, covarde e exagerada;
  • mutilação;
  • utilizar animal em shows, apresentações ou trabalho que possa lhe causar pânico e sofrimento;
  • não procurar um veterinário se o animal estiver doente;

Deixe um Comentário